Emprego: uma forma alternativa de ganhar com criptomoedas

Em regiões como Vale do Silício, Nova York e Boston, o salário médio de desenvolvedores da cadeia do Blockchain chega a US$ 158 mil por ano. A remuneração é bem mais alta do que a de desenvolvedores de softwares, que costumam receber anualmente cerca de US$ 140 mil. Não à toa, há cada vez mais interessados nessa área. Segundo um levantamento realizado pelo site Upwork, essa habilidade foi a segunda que mais cresceu em 2017 – com um aumento de 200% -, só perdendo para robótica.

Em regiões como Vale do Silício, Nova York e Boston, o salário médio de desenvolvedores da cadeia do Blockchain chega a US$ 158 mil por ano. A remuneração é bem mais alta do que a de desenvolvedores de softwares, que costumam receber anualmente cerca de US$ 140 mil. Não à toa, há cada vez mais interessados nessa área. Segundo um levantamento realizado pelo site Upwork, essa habilidade foi a segunda que mais cresceu em 2017 – com um aumento de 200% -, só perdendo para robótica.

Para aqueles que têm interesse em se especializar, o MIT oferece dois cursos de engenharia de criptomoedas e design, enquanto a Universidade de Stanford possui uma disciplina chamada Engenharia de Bitcoin em sua grade de estudos.

Idioma »